sábado, novembro 01, 2008

A capa do TROPICÁLIA

Oi gente

aqui estão algumas informações sobre a capa do disco TROPICÁLIA (pesquisei e aqui está a verdade verdadeira!)



A capa foi realizada em São Paulo (e não em Curitiba como alguns alunos pensaram!) na casa do fotógrafo Oliver Perroy que fazia trabalhos para a Editora Abril e a sua criação foi coletiva, todos davam sua opinião e no final um resultado característico daqueles tempos de "underground" a la Andy Warrol, com pitadas tropicalistas tupiniquins.

Tom Zé está de terno e a valise;

O maestro Rogério Duprat com um penico nas mãos, segurando como se fosse uma xícara.

Gilberto Gil com o retrato de formatura do curso normal de Capinan;

Gal Costa de saia, com um penteado caipira;

A seriedade dos Mutantes mostrando suas guitarras (menos Rita Lee que mostra o contraste de seus cabelos ruivos com a blusa verde);

Torquato Neto de boina e pose relaxada;

Caetano com um rosto solitário, segurando o retrato de Nara Leão que não pode aparecer no dia da foto.


Músicas:

01- Miserere nóbis
(Gilberto Gil/Capinan)
Gilberto Gil
02- Coração materno
(Vicente Celestino)
Caetano Veloso
03- Panis et circenses
(Gilberto Gil/Caetano Veloso)
Os Mutantes
04- Lindonéia
(Caetano Veloso)
Nara Leão
05- Parque industrial
(Tom Zé)
Gilberto Gil, Caetano Veloso, Gal Costa e Os Mutantes
06- Geléia geral
(Gilberto Gil/Torquato Neto)
Gilberto Gil
07- Baby
(Caetano Veloso)
Gal Costa e Caetano Veloso
08- Três caravelas
(A. Algueiró Jr./G. Moreau/ Versão João de Barro)
Caetano Veloso e Gilberto Gil
09- Enquanto seu lobo não vem
(Caetano Veloso)
Caetano Veloso
10- Mamãe, coragem
(Caetano Veloso/Torquato Neto)
Gal Costa
11- Bat macumba
(Gilberto Gil/Caetano Veloso)
Gilberto Gil
12- Hino ao Senhor do Bonfim
(João Antonio Wanderley)
Caetano Veloso, Gilberto Gil, Gal Costa e Os Mutantes


A música TROPICÁLIA, ficou fora do disco.

11 comentários:

Stéfanni Brasil disse...

Olá!
Não sou sua aluna, mas pelo que li muito gostaria que fosse! Também sou fascinada por Arte de modo geral e adorei o seu empenho em prol disso. Sou do Maranhão e em Janeiro prestarei vestibular p/ Educação Artística.
Parabéns e apenas gostaria de agradecer por esse blog! Abraços.

Shu (Sala70) disse...

Tacinhaa...
o q preciso saber de Tropicáliaa?
tem mta coisa pra estudar da sua materiaa,psora...

Taciana disse...

Oi Shu
Não é muita coisa se vc focar no que foi falado na sala de aula.
Eu comentei que aqui no blog ia colocar mais coisas.

Ou seja: atenção nas coisas que foram ditas na aula!

Júlia Tessler disse...

Professora,
precisa saber de cor os músicas do disco e quem compôs cada uma?!

obrigada!
(o blog está maravilhoso, aliás)

Júlia sala 207 - Valinhos

Vanessa 70 disse...

Oi Professora!
é preciso saber todas essas musicas q vc colocou aqui ou somente as do caderno que vc passou na primeira aula???
beijo
Obrigada!

Taciana disse...

Oi meninas
Não há necessidade de saber todas não... Só as da aula, aquele dia, que eu anotei já são suficientes!

Bjos

Fernanda sala 06 vls disse...

Taaci... Não entendi muito bem o que é a estética da fome.... que voce comentou na penúltima aula
Beeijo

Taciana disse...

Glauber Rocha:
"Já se tem superado os tempos em que o novo cinema necessitava explicar-se para poder existir; o novo cinema necessita converter-se num processo em si mesmo para dar-se a compreender melhor, pelo menos na medida em que nossa realidade pode ser compreendida a luz de um pensamento que a fome não debilite o volta delirante.
Por tanto, o novo cinema não pode se desenvolver no marco do processo econômico cultural do continente.
Por isso, em seus verdadeiros começos, não tem contatos com o cinema mundial, salvo no respeito a seus aspectos técnicos, industriais e artísticos.
Nosso cinema é um cinema que se põe em ação em um ambiente político de fome, e que padece por tanto das fraquezas próprias de sua existência."
Bom, é mostrar a realidade do país (ver pra depois julgar... lembra? E depois disso, agir).
Além disso tb está relacionada ao uso de poucos elementos, fazer um cinema mais barato, mais econômico.

AJudou???
Espero que sim.

Bjoks

Fernanda sala 06 vls disse...

Vaaaleuu Tacii.. Ajudouuu e MUITOO¹²¹³².. Beeeijao

Anônimo disse...

http://prosalunos.blogspot.com.br/2008/11/capa-do-tropiclia.html

Capinam é (ou foi...) um poeta, baiano; tenho um livro dele, "mediano". Ah, é o cara da parceria (letra) da canção com o João Bosco, Papel Machê (não sei se se chama assim).

Torquato parece, ou se quis parecer, gay; não achas?

Rogério Duprat, maestro, estudou folosofia, acho, na USP (ou música). Maestro dos bão, que preferiu seguir o caminho da "renovação da MPB" à época. Faleceu ano passado ou retrasado; era tipo: um amor de pessoa, com boas histórias de São Paulo dos tempos da faculdade.

Não tem muito a ver a descrição desse site, mas pelo menos identificam-se as figuras presentes.

Não sabia que a Nara tava no bolo. Interpreta uma das canções, não sabia! E é Lindonéia, inclusive já ouvi essa com ela.

Achei que tinha mais gente... (Walter Franco, por exemplo e algum artista plástico; acho que porque era moleque quando me interessei por isso e não sabia quem era Capinam...)

E é isso.

ariel_off_road@yahoo.com.br

Boa noite, amor!

Marcelo Justo - Fotografia disse...

cara professora, achei de muita informação seu blog e estava em busca realmente de mais info sobre essa capa histórica e que na verdade só sabia que era desse fotógrafo porque está assinado no disco. Meus parabéns, só uma observação de grafia o nome do fotógrafo e cineasta francês é Olivier e não Oliver como está no blog. um abraço, ganhou mais um leitor!