terça-feira, outubro 24, 2006

ARTE ROMÂNICA

Os trabalhos nas oficinas da corte de Carlos Magno levou os artistas a superarem o estilo ornamental da época das invasões bárbaras e a descobrirem a tradição cultural e artística do mundo greco-romano.
A arte românica, cuja representação típica são as basílicas de pedra com duas apses e torres redondas repletas de arcadas, estendeu-se do século XI à primeira metade do XIII. A abóbada das igrejas românicas era de dois tipos: a abóbada de berço e a abóbada de arestas. Embora diferentes, esses dois tipos de abóbada causam o mesmo efeito sobre o ebservador: uma sensação de solidez e repouso, dada pelas linhas semicirculares e pelos grossos pilares que anulam qualquer impressão de esforço e tensão.

ARQUITETURA

Na arquitetura esse fato foi decesivo, pois levou, mais tarde, à criação de um novo estilo para edificação, principalmente das igrejas: o estilo ROMANÂNICO.
Foi uma manifestação artística desenvolvida a partir das formas usadas nas províncias, diferentes da capital e com certa influência do Oriente. Um exemplo desse estilo é a famosa Torre de Pisa, o campanário do conjunto da Catedral de Pisa.
Uma das coisas que mais chamam a atenção nas igrejas românicas é seu temanho. Elas são sempre grandes e sólidas. Por isso são chamadas de “Fortalezas de Deus”.

Conjunto da Catedral de Pisa (1063 - 1272)

Características básicas das construções Românicas:

- Mais largas do que altas: horizontalidade;
- Pequenas aberturas para as janelas;
- Transepto;
- Pesadas.

--> A Arte Românica marcou muito a época em que começaram as peregrinações para os santuários cristãos. Por isso, o Caminho de Santiago é um lugar maravilhoso para se conhecer construções românicas.

PINTURA E ESCULTURA

Na pintura e na escultura, as formas se mantêm dentro da mesma linha da arquitetura: severa e pesada, completamente afastadas de qualquer intenção de imitar a realidade e conseguindo, como resultado, uma estética dotada de certa graça infantil.

PINTURA:
As características essenciais da pintura românica foram a deformação e o colorismo. Seus desenhos iam das formas da antiga pintura romana aos ícones bizantinos, ocupando naves e absides. Os temas mais freqüentes abordavam cenas retiradas do Antigo e do Novo Testamento e da vida de santos e mártires, repletas de sugestões de exemplos edificantes.

Cristo em Majestade. Afresco da abside da igreja de San Clemente de Tahull, Catalunha.

ESCULTURA:
A escultura românica, sempre apresentando um caráter didático ou simbólico, se manifesta principalmente na ornamentação das igrejas e palácios reais.

Escultura em relevo na Canonica di Santa Maria del Vezzolano

A arte românica não é fruto do gosto refinado da nobreza nem das idéias desenvolvidas nos centros urbanos. Trata-se de um estilo essencialmente clerical. A arte desse período passa, assim, a ser encarada como uma extensão do serviço divino e uma oferenda à divindade.

Com uma evidente influência bizantina, durante o período românico a ourivesaria viveu um período de renascimento e esplendor.

2 comentários:

_Amanda_ disse...

PrôôÔÔO^!!!
mttooo³³³ obg!!!

tah ajuddddaannuu mttoooooo prah istudah pra rec...'^^

mtu obrigaddaa!!!!

bjuh

>.<

Anônimo disse...

Aprendi muito vcs estão de parabens