quarta-feira, maio 17, 2006

BARROCO

BARROCO ITALIANO

Caravaggio
Andrea Pozzo

Principais obras:

“Conversão de São Paulo” – Caravaggio
“Narciso” – Caravaggio
“São Jerônimo” – Caravaggio
“Glória de Santo Inácio” – Andrea Pozzo

BARROCO HOLANDÊS

Rembrant
Vermeer

Principais obras:

“Lição de Anatomia do Dr Tulp” – Rembrant
“A leiteira” – Vermeer
“Moça com brinco de pérola” – Vermeer

BARROCO ESPANHOL

Van Dyck
Velázquez

Principais obras:

“Margareta Snyders” – Van Dyck
“As meninas” – Velázquez

4 comentários:

chopin disse...

o blog eh util demais...vlw

▼▼Rodrigo▲▲ disse...

Oi tacina
nossa esse blog é perfeito você é um anjo de fazer algo tão bondoso com seus caros aluninhos ...

Brigadão

¤Viva!Viva!!¤

Anônimo disse...

professora no barroco holandese correto afirmar que tem apenas um unico foco luminoso artificil ou nao e no europeu tem mais de um? outra coisa coisa por um obrar demonstrar a contracao muscular e assim oesforco pode simbolizar o m ovimento tipico do barroco?

Taciana disse...

Sobre o foco luminoso, é comum no barroco ter apenas um! Tanto no barroco protestante como no católico. Há excessões... sempre (em tudo nessa vida). A luz cênica é observada mais nos quadros clássicos (aquela luz de "teatro" em que as coisas são iluminadas de modo mais elegante e completo, sem muitas sombras).
O fato de ter contrações musculares não caracteriza o barroco! Esse tipo de coisa já era vista nas esculturas gregas (clássicas... lembrou?). O que caracteriza o barroco é o movimento... mas não o movimento "falso"... É como se o pintor capitasse um instante da vida (como um fotógrafo - paparazzi). Não são exatamente as contrações musculares... mas o movimento.